terça-feira, 26 de junho de 2012

Você tem o que é preciso

Quase não existe diferença visível entre o atleta vencedor e o que chega por último.

Ambos possuem o mesmo número de músculos para trabalhar.

Ambos jogam com as mesmas regras e usam equipamento semelhante.

Porém, o vencedor é o que tem a determinação de vencer.

O vencedor é aquele que faz o que é preciso, treina dia após dia, esforça-se um pouco a mais em cada treino, é capaz de visualizar sua passagem pela linha à frente do resto.

Tanto o vendedor melhor pago quanto aquele que raramente realiza uma venda possui os mesmos talentos e recursos. A diferença está no que eles fazem com o que têm.

Tanto o escritor, que mais vende quanto, o que nunca publicou nada possui o mesmo dicionário cheio de palavras para trabalhar.

A diferença está no que eles fazem com o que têm.

Você já possui a matéria-prima para o sucesso e a realização.

Você possui o necessário para atingir a grandiosidade em tudo que você quiser. Você tem dentro de si o potencial para conquistas extraordinárias.

Ninguém é mais nem menos equipado para o sucesso do que você. Mas é você quem deve fazê-lo acontecer, e é quem tem que assumir o compromisso e fazer o que for necessário para atingir a grandiosidade de que é capaz.

Você tem o que é preciso.

Faça acontecer.

(autor desconhecido)

Acredite se quiser


Sempre num lugar por onde passavam muitas pessoas, um mendigo sentava-se na calçada e ao lado colocava uma placa com os dizeres: "Vejam como sou feliz!”
“Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado"

 Alguns passantes o olhavam intrigado, outros o achavam doido e outros até davam-lhe dinheiro. Todos os dias, antes de dormir, ele contava o dinheiro e notava que a cada dia a quantia era maior. Numa bela manhã, um importante e arrojado executivo, que já o observava há algum tempo, aproximou-se e lhe disse: "Você é muito criativo”!

Não gostaria de colaborar numa campanha da empresa? “Vamos lá”. “Só tenho a ganhar!", respondeu o mendigo. Após um caprichado banho e com roupas novas, foi levado para a empresa. Daí para frente sua vida foi uma seqüência de sucessos e a certo tempo ele tornou-se um dos sócios majoritários. Numa entrevista coletiva à imprensa, ele esclareceu de como conseguira sair da mendicância para tão alta posição.

Contou ele: Bem, houve época em que eu costumava me sentar nas calçadas com uma placa ao lado, que dizia: “Sou um nada neste mundo! Ninguém me ajuda! Não tenho onde morar! Sou um homem fracassado e maltratado pela vida! Não consigo um mísero emprego que me renda alguns trocados! Mal consigo sobreviver!" As coisas iam de mal a pior quando certa noite... Achei um livro e nele atentei para um trecho que dizia: "Tudo que você fala a seu respeito vai se reforçando. Por pior que esteja a sua vida, diga que tudo vai bem. Por mais que você não goste de sua aparência, afirme-se bonito. Por mais pobre que seja você, diga a si mesmo e aos outros que você é próspero "

Aquilo me tocou profundamente e, como nada tinha a perder. Decidi trocar os dizeres da placa para: "Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado."

E a partir desse dia tudo começou a mudar, a vida me trouxe a pessoa certa para tudo que eu precisava, até que cheguei onde estou hoje.

Tive apenas que entender o Poder das Palavras. O Universo sempre apoiará tudo o que, dissermos, escrevermos ou pensarmos a nosso respeito e isso acabará se manifestando em nossa vida como realidade.

Enquanto afirmarmos que tudo vai mal, que nossa aparência é horrível, que nossos bens materiais são ínfimos, a tendência é que as coisas fiquem piores ainda, pois o Universo as reforçará.

Ele materializa em nossa vida todas as nossas crenças.

Uma repórter, ironicamente, questionou:

- O senhor está querendo dizer que algumas palavras escritas numa simples placa modificaram a sua vida?

Respondeu o homem, cheio de bom humor:

"Claro que não, minha ingênua amiga! Primeiro eu tive que acreditar nelas! 

Fonte: "Silvia Schmidt (No livro "Sorte é Prá Quem Quer”).

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Como abrir uma empresa sem abandonar a carreira


É comum, no início de um negócio, o dono fazer dupla jornada e se tornar empreendedor sem abandonar a carreira. Conciliar a vida de funcionário com a de empreendedor não é fácil, mas pode ser uma boa alternativa até a empresa decolar.  Arnold Sanow, autor do livro You Can Start Your Own Business (Você Pode Começar seu Negócio Próprio, ainda sem tradução para o português), dá dicas que vão fazer da sua start-up um sucesso e que o deixarão tranquilo para pedir demissão na hora certa. Confira:
Envolva sua família: mesmo que tenha funcionários, lembre-se de que seu tempo é escasso. Às vezes será difícil dar conta do volume de trabalho. Por isso, conte com a ajuda de familiares nos momentos mais delicados. Seja para atender telefonemas, despachar mercadorias ou colocar o escritório em ordem, ter a  contribuição de pessoas próximas e de confiança é uma boa maneira de cumprir mais tarefas em menos tempo.
Esteja pronto para abrir mão dos momentos de lazer: durante esse período, esqueça as horas de lazer. Todo o tempo livre deve ser investido no novo negócio. Esteja certo de que o sacrifício valerá a pena. Caso contrário será penoso abdicar, mesmo que temporariamente, de hobbies antigos. Se você estiver infeliz com a nova rotina, os efeitos serão sentidos no trabalho e no negócio.
Mantenha o profissionalismo: quando estiver no trabalho, foque no trabalho. Não permita que pensamentos sobre seu negócio o distraiam. Não falte ou saia mais cedo por causa de eventuais problemas na sua empresa. Jamais use  equipamentos da companhia em que trabalha em benefício próprio.
Cada minuto é precioso: disponibilize 15 minutos do almoço para fazer ligações importantes. Use e-mail para se comunicar a qualquer hora com clientes. O tempo no metrô ou em aviões pode ser utilizado para colocar a leitura de documentos em dia.
Seja honesto: você melhor do que ninguém saberá avaliar se deve ou não contar para seu chefe sobre a dupla jornada. Desde que não interfira no trabalho, há gestores que não se importam com o que os funcionários fazem nas horas vagas.  Em muitos casos, é melhor ser honesto do que deixar o chefe com a sensação de que você esconde algo.

O que você precisa pensar antes de largar seu emprego e se dedicar a sua empresa?


Muitas pessoas ainda estão empregadas quando abrem e começam a gerenciar seu primeiro negócio. Muitas empresas são sustentadas por esse dinheiro advindo de uma carreira mais tradicional no mercado de trabalho. Outros profissionais não veem a hora de largar seus empregos para se dedicar 100% ao seu empreendimento.
Isso, porém, não é uma decisão que deve ser tomada impulsivamente, e alguns fatores precisam ser considerados para evitar que você afunde sua carreira e sua empresa ao mesmo tempo. O site da revista Entrepreneur listou sobre o que você precisa refletir antes de deixar sua vida de funcionário para trás.
1. Responsabilidades. Você está solteiro? Tem poucos gastos? Então talvez arriscar possa ser mais fácil para você. Na pior das hipóteses, você terá de voltar para a casa dos seus pais até que sua empresa decole. Mas, se você tem uma família, um apartamento financiado para pagar e outras despesas, talvez seja melhor continuar sendo um empreendedor de meio período. Se ainda assim você quiser largar seu emprego, tenha uma grana guardada para se sustentar enquanto o sucesso não vem.
2. Seu trabalho. Você tem uma carreira em um mercado com muitas vagas? Se você largar seu emprego, terá facilidade de encontrar outra vaga no futuro se sua empresa não der certo? Veja se sua posição não é muito valiosa para ser deixada para trás antes de saber se seu negócio vai decolar.
3. O seu lado psicológico. Deixar seu emprego vai te trazer mais estresse, nervosismo e insegurança? Se você não é uma pessoa capaz de lidar com os riscos de fracasso e a possibilidade de ter de recomeçar, pense se um pedido de demissão não vai te desgastar mais.
4. Pessoas para te apoiar. Você tem um grupo de pessoas que irão te apoiar em sua decisão e ajudarão naqueles momentos mais difíceis e incertos? Se você tem, pedir demissão vai parecer muito mais fácil, e administrar seu negócio, um pouco mais tranquilo.
5. Seu negócio. Ele já está gerando algum tipo de faturamento? Trabalhar nele integralmente aumentará esse valor? Você precisa investir mais dinheiro ou apenas mais tempo? Se a reposta for a segunda opção, pode pedir as contas, tendo, claro, uma poupança para te sustentar enquanto esses resultados não aparecem.

Veja 10 franquias com taxa máxima de R$ 50 mil para começar


BRUNA SANIELE
Direto de São Paulo
Para quem tem pouco dinheiro para investir ou não quer arriscar todo seu capital uma opção são as microfranquias, empresas com investimento inicial entre R$ 4 mil e R$ 50 mil e com retorno mais rápido que os negócios tradicionais. De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), as microfranquias já representam 17% do total de marcas e 4% do faturamento do setor, com R$ 3,7 bilhões.
As franquias - modelo de negócio em que uma empresa cede o direito de uso de sua marca mediante pagamento e fornece orientação para a gestão do novo empreendimento - são um setor em franco crescimento no País, segundo dados da ABF. O segmento cresceu 16,9% em 2011, com faturamento de R$ 88,8 bilhões e representou 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB). As microfranquias, principalmente pela ascensão da Classe C, se tornaram uma opção para quem quer ser dono do próprio negócio.
"Muitas vezes a microfranquia sequer precisa ter um ponto comercial e o retorno do investimento é muito rápido. Isso as torna extremamente interessantes", diz o diretor executivo da ABF, Ricardo Camargo.
De acordo com o consultor de marketing do Sebrae, José Carmo Vieira de Oliveira, a principal vantagem da microfranquia é o retorno mais rápido do investimento. "Nas microfranquias o retorno em geral ocorre de 18 a 24 meses enquanto na franquia normal é de 24 a 36 meses. Em um negócio tradicional esse prazo varia de 36 a 48 meses", diz Oliveira.
Vantagens para o franqueado 
O baixo investimento inicial e o custo fixo atraem. Humberto Neto, 24 anos, abriu uma empresa da Seguralta - microfranquia de venda de diversos tipos de seguros - em maio de 2011 em Cruzeiro do Sul, no Acre. Incentivado por amigos que já tinham a mesma franquia no Estado de Rondônia, resolveu investir R$ 15 mil. Com custo fixo mensal baixo, já que ele optou por trabalhar em casa, conseguiu recuperar o investimento em três meses. Segundo Neto, atualmente ele consegue ter um salário mensal de cerca de R$ 6 mil. "Foi uma boa oportunidade de abrir o próprio negócio, apesar de o setor ainda ser uma novidade na região. As pessoas ainda estão entendendo a importância do seguro, mas já está valendo a pena".

Sérgio Sandrim, 28 anos, é franqueado da Ecojardim - empresa que oferece serviços de jardinagem - em Araraquara (SP) desde o começo de 2011. "Optei por essa franquia pelo baixo investimento e porque não era preciso entender da área, já que eles ensinam", diz. O investimento inicial, de R$ 24,6 mil, foi recuperado em 12 meses. A empresa, que começou com apenas um funcionário, já contratou mais dois e deve ser ampliada até o fim do ano. "Recomendo para outras pessoas que querem virar donas do próprio negócio. A chance de ganhar dinheiro é maior".
Vantagem para o franqueador 
Além de receber um valor por ceder sua marca e ensinar a gestão do negócio, o franqueador recebe um pagamento mensal (royalties), o que torna ainda mais interessante ampliar o número de franqueados. Alexandre da Silva, diretor da franquia EcoJardim, de Porto Ferreira (SP), diz que a empresa de 13 anos conseguiu abrir 60 franquias apenas em 2011 e que a aceitação é grande. "No nosso caso, o sucesso está em mostrar a gestão do negócio: como o franqueado deve otimizar o tempo e as vantagens de usar produtos melhores. Esse é o nosso diferencial no mercado".

Para garantir a excelência do negócio, ele procurou a consultoria do Sebrae e de empresas particulares. "Ficamos cinco anos nesse processo até nos sentirmos preparados para entrar no negócio das microfranquias", completa.
O grupo Resolve Franchising, que existe desde agosto de 2010, conseguiu emplacar 500 empresas franqueadas em menos de dois anos e se tornou a rede que mais cresceu no setor em 2011, conforme a ABF. Segundo o diretor, David Pinto, o grupo deve chegar a 700 franqueadas da Dr. Resolve (empresa especializada em pequenas reformas e manutenção) e a 120 unidades do Instituto da Construção (escola de capacitação para trabalhadores da construção civil). "O baixo investimento é o principal fator de sucesso já que há poucos negócios que garantam essa lucratividade em pouco tempo".
O grupo Záiom começou em 2008 com uma franquia de reforço escolar e, como foi bem acolhido no mercado, resolveu ampliar as operações. Atualmente o grupo conta com sete microfranquias, com custo inicial que varia entre R$ 7,5 mil e R$ 25 mil e tem 500 franqueados, de acordo com o diretor Artur Hipólito. A expectativa é que esse número chegue a 700 no final de 2012. "Percebemos que a franquia de baixo custo era muito interessante no Brasil, por isso queremos consolidar as marcas e criar outras 25 até o final de 2012", diz Hipólito.
Confira 10 microfranquias disponíveis no País 
1- A empresa Dr. Resolve Home oferece serviços de reparos e reformas em imóveis. A franquia começou em agosto de 2010 e conta atualmente com 500 franqueadas. A taxa de franquia mínima é de R$ 25 mil e os royalties mensais pagos ao franqueador são de dois salários mínimo (R$ 1.244). O prazo estimado de retorno é de 12 a 24 meses, segundo o franqueador.

2- A franquia Dr. Jardim foi criada em março de 2011 e trabalha com manutenção de jardins e piscinas. Atualmente há 45 franqueados. A taxa de franquia mínima é de R$ 10 mil e os royalties mensais pagos ao franqueador, de um salário mínimo (R$ 622). O prazo estimado de retorno é de seis a 12 meses.
3- A empresa Easycomp Plus trabalha no segmento de ensino de idiomas, cursos profissionalizantes e de informática. Criada em 2011, o investimento inicial na franquia é de R$ 47 mil. O prazo estimado de retorno é de 18 a 24 meses, segundo o franqueador. O capital de giro é de R$ 6 mil (para cidades com até 80 mil habitantes).
4- A EcoJardim, que oferece serviços de jardinagem, tratamento e nutrição de plantas, começou a operar em 2011 e conta atualmente com 55 franqueadas. A taxa de franquia mínima é de R$ 24,6 mil e os royalties mensais pagos ao franqueador de um salário mínimo (R$ 622). O prazo estimado de retorno é de seis a 12 meses, segundo o franqueador.
5- Dr. Faz Tudo, franquia que trabalha com manutenção predial, foi criada em julho de 2009 e conta com 135 franqueadas. A taxa de franquia mínima é de R$ 15 mil e os royalties mensais pagos ao franqueador de um salário mínimo (R$ 622). O prazo estimado de retorno é de seis a 12 meses, segundo o franqueador.
6- A empresa Home Angels trabalha no segmento de cuidadores de idosos. A franquia começou em julho de 2009 e conta atualmente com 145 franqueadas. A taxa de franquia mínima é de R$ 15 mil e os royalties mensais pagos ao franqueador de um salário mínimo (R$ 622). O prazo estimado de retorno é de seis a 12 meses, segundo o franqueador.
7- A empresa Home Depil trabalha com depilação em domicílio. A franquia começou em julho de 2011 e conta atualmente com 70 franqueadas. A taxa de franquia mínima é de R$ 10 mil e os royalties mensais pagos ao franqueador de um salário mínimo (R$ 622). O prazo estimado de retorno é de seis a 12 meses, segundo o franqueador.
8- A empresa Pra Que Marido trabalha no segmento de reformas. A taxa de franquia varia entre R$ 15,9 mil a R$ 36,9 mil e os royalties mensais pagos ao franqueador são de 8% do faturamento. O prazo estimado de retorno é de 18 a 24 meses, segundo o franqueador.
9- A Seguralta, voltada para o segmento de seguros, começou a atuar no ramo de franquias em 2008. O investimento inicial mínimo é de R$ 15 mil. O prazo estimado de retorno é de 6 a 12 meses, segundo o franqueador.
10- A empresa Seu Professor oferece reforço escolar virtual. Fundada em 2011, o investimento inicial para a franquia é de R$ 15 mil. Atualmente, há 12 franqueadas atuando no País. O prazo estimado de retorno é de 6 a 12 meses, segundo o franqueador. Não há cobrança de royalties.

Conheça 9 franquias de cerveja para investir


SÃO PAULO - A cerveja é uma das paixões nacionais. Segundo o mestre cervejeiro, Matthias R. Reinold, o brasileiro consome, em média, 60 litros da bebida por ano. Ou seja, é um mercado atraente para quem deseja abrir um negócio. Uma opção para ingressar neste ramo é optar por franquias de cervejarias.
A Ambev foi a primeira a investir no setor de franchising. Desde 2003, a empresa conta com mais de mil unidades em todo o País, que variam entre desde quiosques até bares. Outra cervejaria que aposta no modelo de franquia é a Cervejaria Devassa, da Schincariol.
Investimento O valor de investimento em franquias de cerveja varia de acordo com o modelo de negócio, saindo de R$ 28 mil até 500 mil. Conforme é possível analisar na tabela abaixo:
Modelos de negócios
Ambev (franquias)Investimento total estimadoDevassa (franquias)Investimento total estimado
Nosso BarA partir de R$ 28 milMini Cervejaria DevassaCerca de R$ 480 mil (fora o ponto)
Seu BotecoA partir de R$ 500 milBoteco da Loira - DevassaCerca de R$ 220 mil (fora o ponto)
Quiosque Chopp Brahma - 9 metrosA partir de R$ 80 milPonto Devassa - QuiosqueCerca de R$ 220 mil (fora o ponto)
Quiosque Chopp Brahma - StreetA partir de R$ 300 mil--
Quiosque Chopp Brahma - IndoorA partir de R$ 300 mil--
Chop Brahma ExpressA partir de R$ 300 mil--
FONTE: http://www.infomoney.com.br


Veja como perceber que é hora de reinventar o negócio

Uma empresa é um organismo vivo, que, ao longo do tempo, tem de naturalmente sofrer modificações. O empreendedor deve estar atento a isso e pensar em .... Foto: Shutterstock /Especial para Terra
Uma empresa é um organismo vivo, que, ao longo do tempo, tem de naturalmente sofrer modificações. As mudanças podem incluir a definição de novo foco ou a escolha de um outro modelo de negócio, situações que geralmente acontecem quando o mercado já não tem espaço para o produto ou serviço comercializado. 

Esse é o caso, por exemplo, das videolocadoras, das lojas que revelavam fotos analógicas e das lan houses. Boa parte destes empreendimentos fechou as portas, mas existem aquelas empresas que, com ajustes, conseguiram sobreviver e se reinventar. E tão importante quanto se adaptar às mudanças é perceber a hora de fazê-lo. 

O envolvimento com um negócio, especialmente os de pequeno porte, ultrapassa questões financeiras. É algo também de caráter emocional. "Falta a alguns empresários a frieza necessária para entender que aquele modelo de negócio que eles tinham pensado e se dedicado por alguns anos não tem mais espaço no mercado. É uma sensação de sonho frustrado", explica Rafael Duton, professor de empreendedorismo do Ibmec-RJ. 

Indícios de que não há mais espaço no mercado



O empreendedor deve ficar atento a três tipos básicos de mudanças: as tecnológicas, as de caráter legislativo e as sociais e demográficas. Ele precisa, por exemplo, se antecipar à tendência de envelhecimento da população, ao surgimento de novas regiões ou ao desuso de certas tecnologias. 


"Até mesmo grandes empresas às vezes têm aversão às mudanças e ficam paradas no tempo", diz Rafael. Ele cita o caso da rede de videolocadoras americana Blockbuster, que foi a falência depois que os downloads e a pirataria dominaram o mercado. 

Os sinais das mudanças do mercado têm aparecido cada vez mais rapidamente, afirma Rafael, mas isso não significa que elas aconteçam de fato de uma hora para outra. "Dá para se preparar, sim", opina. 

Um problema recorrente é a própria forma como as empresas nascem. Na maior parte dos casos, os empresários criam produtos ou serviços para depois verificarem a demanda. "Eles desenvolvem soluções e saem em busca de um problema, quando deveria ser feito o contrário", explica Rafael. 

O que fazer 

Cada negócio se adapta de uma maneira às variações do seu setor de atuação, mas existem algumas medidas que são válidas para todos. Uma delas é diversificar e aumentar o mix de produtos. Uma lan house, por exemplo, não pode mais ser apenas um espaço de conexão banda larga, já que o serviço está cada vez mais popular. "Ela tem que adotar o modelo de loja de conveniência virtual. Possuir impressora, escâner e um profissional que saiba de informática para auxiliar os usuários", recomenda Rafael. 

Outro caminho é romper o que o professor chama de "barreiras". A primeira delas se refere ao obstáculo do conhecimento. Nesse sentido, o empreendedor tem de pensar em como ele leva seu produto para pessoas que não possuem conhecimentos básicos para operá-lo. 

É possível também quebrar a "barreira de riqueza", ou seja, ajustar o produto e vendê-lo para outra camada social, diferente daquela para a qual ele foi pensado originalmente. Existe ainda a "barreira do tempo", que é rompida quando a empresa encontra meios de tornar o seu negócio mais conveniente. 

"Às vezes, a necessidade de tal produto ou serviço não morre, mas o que muda é a maneira como os clientes querem consumir aquilo. O desejo de ver filmes ou tirar fotos não deixou de existir", aponta Rafael. 

A superação de todas essas barreiras significa a exploração de novos nichos de mercado, já que não é raro que determinada tendência esteja ultrapassada para uma parcela dos clientes, mas não para todas.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

“Ideias precisam de ideais”

 Se você é uma dessas pessoas, por favor, aceite minha mais sincera opinião, desista!

Pessoas têm preferências, opiniões, fazem escolhas e estabelecem objetivos baseadas em crenças, valores, vivências, ou seja, no direcionamento do que lhes foi estabelecido como certo ou errado, desde os primeiros anos. Uma empresa, da mesma forma, necessita de propósitos, valores e objetivos que ofereçam significação à sua existência, para que suas lideranças e demais colaboradores possam falar a mesma linguagem, comunicar-se adequadamente com o público alvo e produzir os resultados esperados.
É sabido que Empreender no Brasil, não é tarefa simples. “Facilitadores” como Organizações e Programas de apoio ao micro e pequeno empresário apresentam uma parcela de contribuição, no entanto, mascaram uma realidade crítica de altos índices de mortalidade dos pequenos empreendimentos. A falta de capacitação do empresário aliada à ânsia por resultados rápidos, aos programas “milagrosos de financiamento” e aos “formulários prontos” para criação de planos de negócios fortalece uma cultura de descaso com o essencial para a empresa, aquilo que motiva ou justifica a sua existência.

A aplicação de “boas ideias de negócios” no mercado visa lucro financeiro o que é necessário e comum. Tão comum que grandes ideias perdem destaque, tamanho é o foco em resultados imediatistas, aumentando consideravelmente a similaridade das propostas de atuação. Estudar o mercado, elaborar um bom plano de negócios e obter ajuda especializada são pontos cruciais para a criação de empreendimentos de sucesso, mas o empreendedor que deseja construir bases sólidas deve ser fiel aos valores e aos objetivos que irão compor os alicerces da empresa e do modelo de gestão, criando uma atmosfera onde seu público interno e externo queira estar.

Quadros, frases, mensagens, e belas palavras representam a Missão e a Visão de muitas organizações. Ideais, objetivos, ações estratégicas e metas se não forem compreendidas e compartilhadas por todos que compõem o meio, se não fizerem parte da realidade de valores e práticas exercidas por todos, poderão se tornar mais uma frustração. Investir na descrição, aprimoramento e comunicação da Missão, Visão, Valores e Objetivos é primordial, mas ainda trarão pouco ou nenhum resultado se não forem transmitidos por meio de ações. É preciso “ser o exemplo” daquilo que se deseja ver acontecer, “fazer como deve ser feito” e mostrar a que veio, com atitudes e não apenas palavras.

Clareza e transparência quanto aos objetivos e estratégias da organização são essenciais, pessoas produzem mais e melhor quando se identificam com o que fazem, sabem para onde vão e compreendem que fazem parte de algo maior. Quando se tem várias cabeças pensando em novas soluções, as probabilidades de sucesso são elevadamente superiores. Há empresas que se resguardam de sua própria equipe temendo que chegue à concorrência o que se está fazendo. Saber o que deve ser feito é algo bem distante de realmente fazer. É preciso acreditar mais na própria capacidade e no capital humano que constitui a empresa. Veja o que diz Leonardo Calixto, Diretor da EIT teatro para Comunicação e Negócios, autor do livro “Visões sobre Treinamento Corporativo”:





De acordo com John Kotter, há mais de duas décadas, grandes fabricantes norte americanos de automóveis tinham conhecimento do que a Toyota fazia para produzir veículos baratos e de qualidade superior, mas não conseguiram reduzir a lacuna entre o saber e o fazer.  No McDonalds, Estados Unidos, durante a apresentação do relatório de uma consultoria, uma pessoa lembrou que as mesmas considerações foram feitas dois anos antes, por outra empresa do seguimento, o que significa que a própria empresa pagou mais uma vez por um serviço e se quer soube aplicar.

Situações como essas demonstram o quanto é desnecessário e contraditório omitir da própria equipe aonde se pretende chegar e por que motivos. Outro ponto que merece atenção é aquele que por estar insatisfeito com o emprego, salário, carga horária, desgastes e desafios constantes opta por empreender. Se você é uma dessas pessoas, por favor, aceite minha mais sincera opinião, desista! Você, provavelmente, vai se deparar com situações bem mais complexas na sua empresa e isso não é tudo.

Se essa é a sua motivação para criar um negócio, volte e reveja seus conceitos. Caso descubra um propósito verdadeiro que agregue algo ao mercado e à sociedade, então valerá à pena estudar a respeito e retornar aos planos iniciais. “Desenvolva suas ideias quando tiver ideais”, não antes! Convido-os, agora, para assistir também um vídeo pouco convencional, nestes casos, com um breve discurso de Arnold Schwarzenegger – sobre sucesso, fracasso, objetivos, retribuição – e para compartilhar conosco sua opinião, dúvidas e sugestões. 



FONTE: www.ideiademarketing.com.br

Tem 6 anos e é uma empresária de sucesso

Mollie Price foi declarada uma das mais novas empresárias de Inglaterra. Tem já três lojas de doces

Mollie na loja em Shrewsbury 
É uma empresária de sucesso e tem apenas seis anos. Mollie Price foi declarada uma das mais novas empresárias de Inglaterra, tendo inaugurado, recentemente, a sua terceira loja de doces.

Parece inacreditável? Pois não é. A mãe da pequena empreendedora diz, segundo o G1, que a filha organiza e seleciona todos os produtos.

«Pode parecer estranho, mas acredite, a Mollie é a verdadeira mente por trás da operação. Foi ideia dela a de abrir a loja», disse a mãe da pequena empresária.

Mollie sempre gostou de comprar doces nas lojas mais tradicionais, onde se pode comprar ao peso.

E desde muito cedo teve visão para o negócio: percebeu que havia espaço para investir no ramo e preferiu concentrar as vendas em doces britânicos e americanos. Quis apostar tudo aí.

«Ela trabalha numa das lojas aos sábados e acorda às 5h todos os domingos, pronta para ir aos nossos fornecedores em Birmingham e reabastecer os stocks». Depois, «pede aos seus amigos para testar os doces para decidir quais são bons», explicou a mãe.

As lojas chamam-se, como não podia deixar de ser, «Mollie's» e o objetivo é continuar adoçar, cada vez mais e com mais lojas, o paladar dos britânicos.

Sim, Mollie quer expandir o negócio e, em breve, abrirá mais uma loja.

Não é de estranhar que o seu filme preferido seja a «Fantástica fábrica de chocolates».  

terça-feira, 12 de junho de 2012

Polícia Federal abre concurso público para preencher 600 vagas

Os três editais do Concurso da Polícia Federal oferecem vagas para Perito, Delegado e Escrivão. Remuneração é de até R$ 13.368,68

Os certames servirão para o preenchimento de 100 vagas no cargo de Perito Criminal Federal, 350 vagas no cargo de Escrivão de Polícia Federal e 150 vagas no cargo de Delegado de Polícia Federal. (Winnetou Almeida)

 

O Diário Oficial da União desta segunda-feira (11/06) publicou três editais do concurso da Polícia Federal. Os certames servirão para o preenchimento de 100 vagas no cargo de Perito Criminal Federal,  350 vagas no cargo de Escrivão de Polícia Federal e 150 vagas no cargo de Delegado de Polícia Federal. A remuneração oferecida para os cargos de Perito Criminal e Delegado é de R$ 13.368,68 e para o cargo de Escrivão é de R$ 7.514,33, com jornada de trabalho em regime de dedicação exclusiva (40 horas semanais).

Cargos e Requisitos

Para concorrer a uma vaga de Escrivão, o candidato precisa ter nível superior em qualquer área. Entre as atribuições policiais e administrativas de um Escrivão da PF estão: cumprir formalidades processuais, lavrar termos, autos e mandados, acompanhar a autoridade policial em diligências policiais e dirigir veículos policiais.

Para pleitear um dos postos de Perito Criminal, será preciso ter diploma de nível superior em cursos como Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Engenharia (nas especialidades: Elétrica, Eletrônica, Telecomunicações, Agronômica, Florestal, Civil, Química, Redes de Comunicação ou Computação), Ciência da Computação, Informática, Análise de Sistemas, Geologia, Química, Química Industrial, Biomedicina, Ciências Biológicas, Medicina, Odontologia ou Farmácia. 

Entre as atividades diárias do Perito, estão a realização de exames periciais em locais de infração penal, exames em instrumentos utilizados, pesquisas de interesse do serviço, coleta de dados e informações necessários à complementação dos exames e outras atividades que visem apoiar técnica e administrativamente a instituição.

Já para disputar o cargo de Delegado de Polícia Federal, será necessário possuir diploma de curso superior em Direito. Segundo o edital, as competências do Delegado de Polícia Federal incluem instaurar e presidir procedimentos policiais de investigação, orientar e comandar a execução de investigações relacionadas, participar do planejamento de operações de segurança e investigações, entre outras atividades de apoio ao Órgão na consecução dos seus fins.

Além da exigência do nível de escolaridade, vale ressaltar que, independentemente do cargo pretendido, os interessados deverão estar em dia com as obrigações eleitorais e militares (esta última, aplicável aos candidatos do sexo masculino), possuir carteira nacional de habilitação mínima na categoria "B" e ter pelo menos 18 anos de idade até a data de matrícula no Curso de Formação Profissional.

Inscrição Concurso Polícia Federal 2012

Será admitida a inscrição somente via internet, no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/, solicitada no período entre 10 horas do dia 18 junho de 2012 e 23 horas e 59 minutos do dia 9 de julho de 2012, observado o horário oficial de Braslia/DF. Aqueles que não puderem se inscrever online ou preferirem os postos de atendimento presencial deverão consultar a relação dos locais aptos para receber inscrições, nos Estados e no Distrito Federal.

A taxa de participação custa R$ 125,00 para optantes pelo cargo de Escrivão ou R$ 150,00 para os cargos de Perito e Delegado.

Etapas da seleção

As provas objetivas e discursivas terão duração de 5 horas e estão programadas para o dia 19 de agosto de 2012, no turno da manhã. Essas duas avaliações fazem parte da primeira etapa do concurso, que ainda terá: exame de aptidão física, exame médico e avaliação psicológica e de títulos. Ainda na primeira etapa, exclusivamente para o cargo de Escrivão, será aplicada também uma prova prática de digitação. Somente os aspirantes ao cargo de Delegado, por sua vez, passarão por prova oral (além das demais etapas).

A segunda etapa da Seleção pública consistirá no Curso de Formação Profissional, que será executado pela Academia Nacional de Polícia (e não mais pelo Cespe/UnB, como na primeira etapa), tendo como local prioritário o Distrito Federal.

Da inscrição até a nomeação os candidatos serão submetidos a investigação social e/ou funcional, que terá caráter eliminatório, e poderá inclusive ser avaliado em exame antidrogas. Durante o Curso de Formação Profissional, poderão passar por avaliações médica e psicológica complementares, sendo também eliminatórias.

Os editais estabelecem que o prazo de validade dos Concursos será de 30 dias, contados a partir da publicação da homologação dos resultados finais, podendo esse prazo ser prorrogado uma única vez.

FONTE: www.blogger.com

 


Conheça 6 franquias com investimentos de até R$ 100 mil

Com a proximidade da ABF Franchising Expo, o maior evento do segmento no mundo, que acontecerá de 13 a 16 de junho em São Paulo, muitos empreendedores e futuros interessados em entrar no franchising, começam a buscar informações sobre o setor, as marcas, produtos e serviços. Em 2011 surgiram 176 novas redes no mercado brasileiro, que reúne 2.031 marcas. Além disso, o setor faturou em 2011, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), R$ 88,8 bilhões.

Para quem está interessado em ingressar nesse universo cada vez mais atrativo, conheça franquias com investimentos de até R$ 100 mil:

Estreante na Feira da ABF, a rede Seu Professor apresenta serviço inédito no segmento de franchising. A empresa oferece reforço escolar virtual para alunos do ensino fundamental e médio e tem 32 mil usuários cadastrados no portal. Seus grandes atrativos são o baixo investimento inicial (R$ 15 mil) e a possibilidade de atuar home-based. São 12 unidades em apenas nove meses de atuação como franquia.

Com mais de 50 cursos dispostos em 20 módulos diferentes e 20 anos de know-how, o Grupo Easycomp já capacitou mais de 4 milhões de alunos e está presente em mais de 900 municípios brasileiros e também no exterior com marcas licenciadas. Para abrir uma unidade da rede da Easycomp Plus, o investimento inicial é de R$ 47 mil, já inclusos taxa de franquia e outras despesas.

Considerada a terceira maior rede do país, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o Kumon conta com 1560 unidades em todo o Brasil. O método, criado no Japão em 1958 pelo professor Toru Kumon, possui em todo o mundo mais de 4 milhões de estudantes, divididos em suas quase 25 mil unidades. O investimento inicial para a abertura de uma unidade varia de R$ 15 mil a R$ 30 mil, de acordo com a região de abertura. O prazo de retorno do investimento é de 18 a 24 meses.

A Promo Prime é uma rede de franquias especializada em promoção e representação comercial para atender empresas que buscam renovar, ou, então, ampliar sua carteira de clientes. Para se ter uma unidade da marca, o investimento inicial varia de R$ 7.500,00 (home-based) a R$ 15 mil (master franquia), incluindo neste valor as taxas de franquia, treinamentos e ferramentas básicas. O prazo de retorno dos investimentos varia de 6 a 12 meses.

A rede de franquias Nação Verde desenvolve e comercializa uma gama de produtos naturais e orgânicos. Com linhas de alimentação, beleza (mais de 100 itens desenvolvidos sem petróleo e corantes), pet e higienização de carro e casa, o investimento para ser franqueado da marca é de R$ 98 mil e o prazo de retorno varia de 18 a 24 meses.

Adaptada ao formato home-based, a Medis, rede especializada na fabricação, comercialização e distribuição de produtos odontomédicos, possibilita ao futuro empreendedor ter sua própria franquia com investimentos a partir de R$ 20 mil. Há 14 anos no mercado, a marca conta com 23 unidades e mais de 3 mil produtos licenciados, atendendo a consultórios médicos e odontológicos, além de grandes hospitais. O prazo de retorno do investimento varia de 12 a 18 meses.

sábado, 9 de junho de 2012

A Hang Son Doong, no Vietnã. maior e mais majestosa caverna no mundo

A entrada da caverna, um portal de 1,5 quilômetro. (Foto: Getty Images)
 

A maior caverna do mundo? Sabemos onde fica: no Vietnã. E não, durante a Guerra do Vietnã por lá ninguém se escondeu na Hang Son Doong, pois foi descoberta em 1991 perto da fronteira do Laos, agora no batizado Phong Nha-Kẻ Bàng National Park. Um assobio assustador vem de dentro da enorme, gigantesca entrada, ou melhor, portal de 1,6 quilômetro (tem nome também, Hang En).



Trata-se de um zumbido criado pelo largo rio subterrâneo de águas rápidas, o Rao Thuong River, que reverbera pelas paredes e se transforma em pequenos lagos ao longo de seu caminho nos meses secos. É um mundo perdido em quatro quilômetros de extensão e 91 metros de largura e 240 de altura – é grande o suficiente para acomodar um prédio de 40 andares. Que tal? Você é um aventureiro, quer ir até lá? Os pesquisadores ingleses Howard e Deb Limbert ficaram quatro dias por lá, em 2009, mas foram “barrados” por uma parede de calcita. Daí muito da caverna continuar inexplorado.


Alguns buracos que passam luz do dia foram criados por quedas de pedras gigantescas (do tamanho de prédios) do teto. Mas é mesmo a maior caverna? Existe o longo sistema de cavernas Mammoth nos Estados Unidos, a profundíssima Krubera-Voronja na Georgia ou a atual recordista Deer Cave, na Malásia, mas nenhuma se compara com a enormidade em conjunto da Hang Son Doong.

 

Em um dos skylights (buracos a partir do topo das montanhas da caverna), praticamente uma selva se instalou no entorno. Apesar de descoberta no começo dos anos 1990, foi somente em 2009 com uma expedição especializada inglesa que Hang Son Doong se tornou pública.